10 formas de sobreviver a um emprego tóxico

Pedir demissão pode não ser uma opção, porém enfrentar um emprego tóxico pode causar efeitos devastadores para sua autoconfiança, saúde e futuro profissional.

Enquanto você estiver apenas se prendendo àquele emprego porque não pode ficar sem o salário/benefícios, aprenda técnicas para aliviar a pressão, a tensão e os efeitos nocivos.

Mas primeiro, vamos definir o que é emprego ou empresa tóxica.

É aquela que:

  • As pessoas têm os seus direitos constantemente desrespeitados, sejam funcionários, fornecedores e/ou clientes;
  • Os objetivos e intenções dos líderes não são claros, a comunicação não é aberta e seu processo é truncado;
  • Os líderes falam algo e fazem coisas diferentes ou opostas;
  • Promove um ambiente interno de competição e não colaboração entre as pessoas e departamentos;
  • Mantém o controle através de ameaças, provocado medo e vergonha nos funcionários;
  • Não consegue manter por muito tempo os funcionários, que vivem um misto de apatia, cinismo ou falta de perspectiva;
  • Não estimula a contribuição dos funcionários que não se sentem responsáveis por suas ações ou decisões;
  • As pessoas se sentem usadas pela organização, forçadas a ocuparem funções para as quais não receberam treinamento ou possuem um perfil não adequado para as atividades exigidas. E quando não “servem”, são descartadas ao invés dos líderes identificarem outra posição para ocuparem ou quais habilidades/comportamentos poderiam ser desenvolvidos.
  • Regras e procedimentos são ignorados ou só servem Top to Bottom, ou seja como instrumento de controle e ameaça, de cima para baixo.
  • Não há interesse em promover a interação das pessoas ou fazer com que possam ser um pouco mais espontâneas. São vistas apenas como cumpridores de tarefas desconsiderando suas habilidades e personalidades.

Esse não é um ranking, porém quanto mais itens definiram a empresa na qual você trabalha, maior o nível de toxicidade.

Entretanto, saiba que você não está sozinho. Então, pegue sua máscara de gás, o macacão e vem comigo! Porque tentar mudar o clima da empresa não é uma opção, mas você conseguirá recursos emocionais para ter mais qualidade de vida até traçar seu novo plano.

  1. Não espere elogios:

Você já sabe como é. Provavelmente em um ambiente tóxico, o líder deve ser um daqueles chefes disfuncionais que transformam seus bons resultados em falhas. Portanto, não crie expectativas de que haverá justiça ou que você será reconhecido. Trabalhe para você, porque você valoriza os seus resultados. Lembre-se de que suas experiências são parte da sua bagagem profissional. Tente tirar o máximo do seu trabalho para que mesmo ele sendo tóxico, possa contribuir com seu aprendizado e amadurecimento profissional para o seu futuro.

  1. Aceite o fato de que você não pode mudar esse ambiente e nem os seus colegas

As únicas coisas que você controla são suas emoções e a forma como reage aos outros. Decida-se não aceitar as provocações, mantenha sua autoestima fortalecida, liste todas as suas conquistas e elogios profissionais que recebeu e mantenha-os somente ao seu alcance, para que não se esqueça do que já realizou e de quem você realmente é, apesar do momento difícil que atravessa.

  1. Estabeleça limites claros

Estabeleça o limite a ser respeitado. O que você está disposto a fazer e o que não está. Comunique com clareza e em um momento em que você não esteja sendo desafiado. Pense com calma para colocar a situação da melhor forma. Muitas vezes, um pequeno confronto com um líder autoritário pode ser positivo para impor respeito. Mas tenha cuidado para não desafiá-lo e apenas pontuar a sua posição.

  1. Não leve para o lado pessoal

Pode ter certeza de que o ambiente é tóxico para outras pessoas também. E ele é assim devido à forma como os líderes conduzem o negócio e não é especificamente contra você. É só mais uma empresa ruim. Simples assim.

  1. Procure validação junto às pessoas que você confia

Se estiver em dúvida se o comportamento tóxico é somente contra você, busque validação dos colegas nos quais confia, para que atestem também as suas impressões.

  1. Ajude os feridos e apague a fogueira

Oferecer conforto para os colegas que também sofrem, pode lhe trazer alívio. Além do sentimento de ajuda ao próximo, que acabará se tornando um bálsamo para suas feridas emocionais, você também desfrutará de um sentimento de realização.

Opte também por apagar a fogueira ao invés de atear mais fogo. Busque em você a força para apaziguar os ânimos. Você verá que esse papel lhe fará muito bem, permitindo também alianças no local de trabalho que podem ser importantes.

  1. Supere os ataques

Independentemente de sua crença, encontre algo maior onde se apoiar para superar os ataques. Seja contando com sua espiritualidade, pensando em sua missão de vida ou objetivos que deseja cumprir. E avalie se estar nessa empresa faz parte do seu plano neste momento.

  1. Ouça seu corpo

Fique atento quanto aos sinais do seu corpo: as dores frequentes, gastrites, infecções, gripes e demais doenças oportunistas que aparecem em situação de estresse continuado. E saiba que isso gera um alto custo emocional, gasto com remédios e baixa qualidade de vida. Para diminuir esse custo você deve praticar atividades físicas para alívio da tensão, dedicar-se a um hobbie ou ter um projeto paralelo que te traga realização. É importante que você coloque sua energia em algo que lhe fará bem, tanto para o corpo, como para a mente.

  1. Tenha seus próprios planos

Não use esse guia para se acomodar. Ouse sair da zona de conforto. Dedique seu tempo para traçar outro plano para sua vida e definir um plano B ou C. E não se contente em “ir ficando até onde der”. Se tornar um mau funcionário, daquele tipo que faz o mínimo para não ser mandando embora, não surte o efeito de vingança contra a empresa. Você está perdendo o seu precioso tempo. Você pode mais! Não desperdice sua vida em uma empresa que não lhe traz retorno.

  1. Encare o desemprego

Finalmente, se mesmo após um grande esforço, as condições se tornaram impossíveis, sua saúde está ameaçada, você não consegue mais encontrar motivação ou razão para ir para esse emprego e ainda não conseguiu uma nova oportunidade, então, pense em enfrentar o desemprego. Não trate esse assunto como tabu. Isso só torna o seu caminho mais difícil. Encare esse novo desafio, analisando a situação antes que você se sinta sem saída. Lembre-se do custo emocional. Ele deve entrar na conta. Muitas vezes, as pessoas acabam pensando no salário e benefícios que vão perder, mas se esquecem de colocar o alto custo emocional de permanecerem em um local ruim e tudo que isso implica negativamente.

Só você pode avaliar o seu limite, porém acredite que sempre haverá opções. Dedique-se a encontrar a solução ao invés de somente reclamar do problema. E use todas as adversidades como aprendizado e combustível para que você busque mais. Seja mais do que esse emprego que te atormenta.

Nota: Este texto tem como fonte o livro: “Não Aguento o Meu Emprego” de Gary Chapman, Paul White e Harold Myra, além de minhas experiências profissionais.