Como pensa o procrastinador e o realizador?

Que procrastinar é adiar uma atividade para outro dia, você já sabe.

E também tem ciência de que isso é bem comum. O que você talvez não saiba é que somos programados para reduzir nossos esforços a fim de poupar energia, por isso procrastinamos. Esse comportamento associado a uma cultura de não se concentrar tanto em planejamento e ser mais “mão na massa”, faz com que automaticamente pensemos “por que fazer agora, se podemos fazer depois?”.

Entretanto, esse hábito tem se mostrado negativo, no sentido de que é mais fácil perder os prazos, ser menos produtivo e prejudicar a qualidade do resultado final. Em alguns casos, procrastinar faz com que você trabalhe mais do que se tivesse realizado as atividades mais prontamente, conduzindo a horas de retrabalho e mais estresse.

Para substituir um velho hábito (procrastinar) por um novo (realizar) é necessário primeiro mapear os principais aspectos de cada perfil e depois, conscientemente passar a adotar o que for mais adequado para você.

1.Perfil do procrastinador
•Foco na dificuldade do processo
Ele imagina o quão complicado, penoso, desafiador ou mesmo entediante será realizar aquela tarefa e então adia o sofrimento.

•Acredita que estará pronto no dia seguinte, esperando por uma inspiração ou por melhores condições, um dia mais tranquilo, estar melhor fisicamente…

•Noção tempo elástica
Se o prazo de entrega é dia 31/07, por exemplo, ele terá percepção que tem 2 semanas para fazer e sente-se tranquilo.

•Baixo comprometimento
Ele não se compromete com a tarefa, não tem a percepção de aquilo está conectado ao um objetivo maior e portanto, não lhe dá valor.

2. Perfil do realizador
•Foco nos benefícios do resultado
Ele pensa nos resultados e não na dificuldade de realizar a tarefa. E por isso, se sente motivado a conquistar logo esse resultado. Trabalha motivado pela recompensa e não pelo sofrimento.

•Acredita que está em seu melhor momento e por isso não deixa para depois.
A hora é agora. Se deixar para depois pode não ter tempo ou ocorrer um imprevisto. Sente que é melhor concluir logo a tarefa.

•Noção de tempo encurtada
Se o prazo é 31/07 ele terá a percepção que são poucos dias úteis, bem menos do que 2 semanas e irá programar-se para realizar logo a tarefa. Sente mais urgência em realizar.

•Alto comprometimento
Tem o entendimento que a atividade que está realizando está conectada com um objetivo maior e por isso compromete-se com ela.

Procrastinar pode ser positivo quando estiver relacionado a uma atividade que envolva criatividade. Quanto às demais, o melhor mesmo é realizá-las o quanto antes.

A boa notícia é que podemos alternar os perfis de acordo com as situações e para tanto é preciso conhecer melhor os mecanismos de formação do hábito. Mas esse é assunto para um próximo post.

Se você gostou e/ou ficou curioso inscreva-se para receber as atualizações.