Se está fácil, está errado

Assim como na matemática – se você acha o exercício muito fácil, então está errado – a vida segue essa mesma lógica.

Se pararmos um pouco para prestar atenção ao nosso redor ou mesmo buscar um pouco de inspiração na natureza, veremos que nada é fácil. Pode ser simples (nascer, crescer, se reproduzir e morrer), mas não é fácil.

Veja por exemplo o nascimento de qualquer mamífero, leva tempo, quase um 1 ano para que aquela pequena célula se desenvolva até chegar a um ser completo. E ai é só nascer e pronto?

Nada. Nascer exige um esforço e uma adaptação brutal. Pense nas tartarugas que já nascem correndo para o mar e poucas delas chegam ao seu destino. A maioria vive apenas algumas horas, até serem encontradas pelos predadores. Somente as mais rápidas chegarão lá. E mesmo assim, o mar será cheio de novos perigos. Mas após todo esse desafio elas viverão décadas. Um dos seres mais longevos que temos na Terra.

E o ser humano, então? É a criatura que nasce mais dependente. Se fosse deixado sozinho, não sobreviveria. Precisa ser cuidado, criado e ensinado. E ai finalmente, está pronto?

Nem. Se dermos sorte, ele vai desejar se desenvolver até o fim de sua vida. Buscando formas para se tornar uma pessoa melhor, mais feliz, mais equilibrada ou bem sucedida. Será um pessoa em constante construção.

Acreditar que existe um caminho fácil, um simples apertar de botão ou toque na tela para dar um comando é um engano que a revolução tecnológica nos ajudou a consolidar.

A tecnologia sem dúvida tornou nossa existência muito melhor, porém ela nos trouxe um paradoxo que não estamos sabendo como lidar. Se eu mando uma mensagem em segundos por que não posso obter a resposta nesses mesmos poucos segundos? Por que tenho que esperar a disponibilidade da pessoa lá do outro lado? É tão fácil, por que ela não me responde?

Se ampliarmos essa visão para o mundo corporativo, as pessoas estão perdendo a noção de quanto tempo se leva para desenvolver uma carreira e do esforço para se construir uma reputação.

E essa cobrança por resultados rápidos nos conduz a ansiedade e todas as suas consequências negativas, como dificuldade para dormir, um estado de alerta em tempo integral, problemas de saúde… enfim, você sabe bem do que eu estou falando.

A questão é que a dificuldade em lidar com o prazo real dos aspectos de nossa vida faz com que criemos uma ilusão de que pode haver um caminho fácil e rápido. E que bastaria encontrá-lo para que todos os seus males fossem resolvidos.

Perde-se então um preciso tempo buscando a solução mágica ao invés de investir no trabalho propriamente dito. Não se entra em ação até que se encontre um atalho. Mas esse atalho não existe e a vida passa.

Fico pensando o que seriam da borboletas se elas decidissem esperar por um jeito mais fácil de sair do casulo. Talvez nunca mais víssemos suas belas cores. Ao invés disso, teríamos várias lagartas por ai. Seres esquisitinhos e rastejantes.

É bem melhor ser uma borboleta, não? Colorida, capaz de alçar voo e viver se alimentando de flores.

Eu poderia citar outros animais que passam por incríveis desafios, como as águias que arrancam seu próprio bico para fazer com que um novo e mais forte cresça. Mas eu estaria sendo repetitiva para você.

Ah, e como eu faço com a dolorosa transformação de lagarta para borboleta? Bom, eu diria que vale a pena, que os resultados compensam e que a tentativa já nos dá como recompensa a incrível experiência de viver.

Mas você pode me responder melhor se prefere ser a lagarta ou a borboleta. É sempre sua escolha.

#sejamais Enfrente e em frente!