Como escolher e o que esperar de um processo de coaching?

O coaching é uma das profissões que mais crescem no mundo e essa prática chegou recentemente ao Brasil. Por aqui, existem excelentes instituições com cursos de formação, mas pelo fato de ser uma novidade, as pessoas ainda sentem dificuldade e têm muitas dúvidas sobre como escolher um coach e o que esperar do processo. Por isso, eu vou dar algumas dicas para te ajudar em uma primeira conversa com o seu futuro coach:

• Verifique em qual instituição o coach se formou e quais cursos de aperfeiçoamento ele fez.
Essa dica é básica para qualquer profissão. Boa parte da bagagem inicial de um coach será adquirida em seu curso de formação e nos demais que ele realizou para aperfeiçoamento.

• O coach deverá ser capaz de estabelecer confiança e respeito
Logo na primeira conversa, você precisa sentir-se confortável na presença do coach. É necessário estabelecer uma conexão positiva para que o coach consiga, durante o processo, estimular o coachee a buscar soluções, entrar em ação e mudar comportamentos indesejados. E isso só é possível se houver credibilidade e respeito mútuo.

• Um coach não deve emitir julgamentos e nem pressupor nada
Este princípio é muito forte na formação de um coach. Ele não pode julgar você, seu projeto de vida e nem suas habilidades, pois se o fizer, estará impondo seus próprios valores ao cliente ao invés de respeitar os dele. O coach deve aceitar que seu cliente é um indivíduo único, que possui seus próprios guias de conduta, objetivos e propósitos.

• Um coach não deve dizer o que você tem que fazer, mas deve estimular a ação
“Largue seu emprego já e mude-se para praia!”, apesar de ser a frase dos sonhos de muita gente, um coach jamais poderá fazer isso. Ele não é um mentor. Ele não pode dar conselhos. Ele é um facilitador do processo de transformação do cliente, naquilo que ele mesmo julgar que deve ser modificado. Ele deve ajudar o coachee a tomar suas próprias decisões e entrar em ação, sempre embasado por análises externas e internas do coachee.

• Um coach não deve levá-lo ao passado
Coaching não é terapia. O que aconteceu com você no passado, sua infância e suas relações familiares são importantes no processo porque transformaram-no em quem você é hoje. Baseado nisso, o coach irá guiá-lo ao futuro. É como um treinador de futebol quando começa a treinar um time. Os títulos passados e os times em que esses jogadores atuaram não são tão importantes, mas sim, o que eles são hoje, suas habilidades, seus pontos fracos (problemas de joelho, por exemplo) e o que eles querem conquistar. Sendo assim, em um processo de coaching não se volta ao passado. Pode-se apenas servir para uma conversa inicial para pontuar a apresentação do coachee.

• Um coach deve ter paixão pelo que faz
Acredito que essa seja a mais subjetiva das características, mas a mais fácil de perceber. Um coach apaixonado pelo que faz dedica-se mais à sua profissão e aos seus clientes. Ele entrega mais do que se espera. E ele o faz não por ser uma obrigação, mas porque verdadeiramente encontrou seu propósito e o serve com amor.
Encontrando um profissional com essas características, você terá um excelente guia para alçar voos que nunca imaginou serem possíveis!